RESULTADOS

BOAS PRÁTICAS AGRONÓMICAS

No campo, estão a ser ensaiadas diversas modalidades de estruturas de suporte, cobertura de solo e compasso de plantação, de modo a compilar conhecimento para o desenvolvimento desta cultura. Estão também a ser testados diferentes modos de produção, em estufa, em solo e em hidroponia.

MODOS DE PRODUÇÃO

EM ESTUFA

AO AR LIVRE

PLANTAÇÕES COM +50 PLANTAS

MAIORIA DAS PLANTAÇÕES

COM MENOS DE 50 PLANTAS

CULTIVO EM SOLO

CULTIVO EM SUBSTRATO

(Exploração em Alcantarilha)

CULTIVO EM SOLO

Existem algumas vantagens no cultivo sem solo, nomeadamente a prevenção da contaminação de fungos presentes no solo. Outra vantagem apresentada, quando aliada à produção em estufa, consiste na rapidez do desenvolvimento, em relação às plantas cultivadas no solo, provavelmente devido também ao controlo das condições climáticas.

 

No que toca às estruturas de apoio em Portugal, o mais frequente é a utilização de estruturas metálicas ou postes de madeira (Figura 1). Já noutras localizações geográficas, como por exemplo no Brasil, é muito utilizado postes de madeira com o suporte superior em forma de quadrado. A polinização é uma das maiores problemáticas no cultivo da pitaia, e pela sua produção de frutos ser bastante recente, ainda é uma condicionante a ser estudada. No entanto, nas explorações com dimensão significativa é feita a polinização artificial, quase sempre com recurso a polinização cruzada.

 

Contudo, este é ainda um estudo preliminar. É necessário obter mais resultados a longo prazo, recorrendo a uma investigação pormenorizada sobre as necessidades da planta e métodos de condução ideais. Para já, é possível afirmar que a escolha cuidada do local de cultivo é fundamental para o sucesso da produção.

Figura 1 – Dia de Campo (31/07/2020)

CONTACTOS 

LÍDER DO CONSÓRCIO: AJAP

Rua D. Pedro V, 108 - 2º

1269-128 Lisboa

Para mais informações: www.ajap.pt